terça-feira, 6 de maio de 2014

Banda Missio edita 1º CD



A Banda Missio, ligada ao CVJ dos Missionários Combonianos, vai apresentar oficialmente o seu 1º CD.

O evento realiza-se no dia 19 de Junho, na Casa da Música, no Porto e contará com a presença de alguns convidados – amigos da Banda.
A Entrada será gratuita, mas a aquisição de bilhete é obrigatória. Os bilhetes estarão disponíveis a partir de 8 de Junho, mas desde já se pode fazer reserva: Uma vez que o número de lugares é limitado, a reserva-aquisição de bilhetes carece de confirmação por parte da organização.


Todas as informações estão disponíveis no site da banda

quinta-feira, 27 de março de 2014

Missão Jovem 2014


Ok gente boa!

Novidades acabadinhas de sair: Lançamos o Missão Jovem 2014.
O programa ainda não está totalmente definido, mas o essencial já está no site, este ano com novo visual: missaojovem.jim.pt
No entanto podeis já sondar e começar a preparar-vos para participar.

Este ano celebramos 3 grandes eventos:
1/ o ano comboniano, com a celebração dos 10 anos da canonização de S. Danel Comboni.
2/ o Jubileu de prata (25 anos!) de ordenação sacerdotal do P. Leonel Claro.
3/ edição do CD da Banda Missio.
São razões mais do que suficientes e atractivas para que não faltes!

Entretanto guarda também esta data:
18 de Maio. É o lançamento dos ICONE do Missão Jovem. Por isso, se queres receber o ICONE no teu grupo, inscreve-te antes desse dia.

Abração amigo.
Vemo-nos lá.

Leonel Claro

Equipa Missão Jovem 2014

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Mensagem do papa para o DMJ 2014


"Felizes os pobres em Espirito, porque deles é o Reino dos Céus"
É este o tema escolhido pelo Papa para a mensagem deste ano por acasião do DMJ.

Podes decarregar a mensagem aqui

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Fé e Missão



para todos os que vieram ao primeiro encontro em dezembro e para outros que queiram começar aqui vai a lembrança do próximo momento do grupo FÉ E MISSÃO:

é Uma oração JIM com jantar partilhado, nas irmãs combonianas no porto.

o endereço está no cartaz.
se tiverem dúvidas perguntem.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Oração pela paz no Sudão

Oração pela Paz no Sudão do Sul


Deus de amor e misericórdia,
vós criastes pessoas de todos os clãs, tribos e nacionalidades.
É vossa vontade que todos os povos
possam viver em paz, harmonia e unidade.
Somos todos irmãos e irmãs.
Pedimos-vos perdão
pelas vezes que não vivemos em paz.
Curai as nossas feridas e ajudai-nos
a reconciliar-nos uns com os outros.
Nós também rezamos pelos nossos líderes.
Concedei-lhes a sabedoria divina
E ajudai-os a promover o respeito,
a paz, o amor, a unidade, a justiça
e a verdadeira reconciliação,
para que cada clã e tribo no Sudão do Sul
possam viver em paz e harmonia.
Nós vos pedimos por Jesus Cristo Nosso Senhor.

Amen.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

50 anos de presença comboniana no Congo


Paz e bem no Deus Menino que vai nascer para cada um de nós.
Nestes dias a nossa internet anda complicada e por isso apenas agora envio esta noticia.

No passado Domingo os Missionários Combonianos da R. D. do Congo iniciámos um ano jubilar. Estamos a celebrar 50 anos da chegada a este país.

Aqui em Isiro iniciámos com uma solene celebração da Eucaristia, seguida de concerto musical, almoço e à tarde jogo de futebol. Um dia em cheio e em grande para iniciar um ano de graça para esta provincia.
Que bom e belo celebrar 50 anos de história com um povo que sofre. Mas com o qual é possível trabalhar, criar e avançar no conhecimento de Jesus Cristo. O trabalho é árduo mas o Mestre não falha e com Ele tudo se faz.

Aproveito ainda desta ocasião para enviar os meus votos de Feliz Natal e prospero Ano Novo de 2014.
Sábado parto para visitar as capelas e ficarei off line até dia de Natal à tardinha quando possivelmente regressarei a Isiro.

Uno-me a todos os meus amigos e asseguro a minha oração
um grande abraço de amizade e festas felizes.

P. Marcelo



PS: desta vez envio uma foto minha para que possam ver como estou.. Cada vez mais gordo...ahahhhhhh...

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Leigas missionárias contam sobre o momento da RCA


Escrevemos para contar um pouco como estamos a viver o momento presente – após a tentativa de golpe de estado de 5 de Dezembro, na República Centro-Africana – os nossos medos, as nossas angústias… Élia e Teresa.


Queridos leigos missionários combonianos (LMC), amigos e familiares

Paz e Bem!

Quando anoitece o silêncio cai em Mongoumba, não se ouvem os cantos e risos das crianças que brincam, não se ouvem as conversas dos vizinhos, não se ouvem os tambores que animam a noite… apenas os sons da natureza, os grilos e alguns pássaros noctívagos. É um silêncio que angustia porque sabemos que as pessoas deixam as suas casas para se refugiarem na floresta. Partem porque têm medo. Medo dos militares da Seleka e medo dos Anti-Balaka, o novo grupo de oposição ao governo de transição. Medo da noite, do que pode acontecer.

É um momento difícil, um momento difícil para o país, mas nós em Mongoumba estamos numa situação diferente, podemos dizer que vivemos num pequeno paraíso. Um pequeno paraíso onde as dificuldades não faltam, mas tentamos dar continuidade às nossas actividades quotidianas nos diferentes projectos: saúde, educação e pastoral, ao mesmo tempo tentamos viver em proximidade com as gentes partilhando com elas as dificuldades de cada dia. Falamos de pequeno paraíso porque o local, com as suas fronteiras naturais (o rio), nos permitem continuar de uma forma quase normal, quase normal, pois não podemos esquecer a situação de guerra, destruição e morte que se vive no resto do país.

Chegam-nos notícias dos acontecimentos, sobretudo em Bangui, há outras localidades em dificuldades, mas é em Bangui onde os confrontos são mais intensos e tem havido maior número de mortos. Ouvimos as notícias e ouvimos também as pessoas que têm familiares na capital, do que se passa nos bairros, de cadáveres em casa e nas ruas onde ninguém chega para os recolher. Os acessos são difíceis e as pessoas têm medo de sair para pedir ajuda.

As notícias que nos chegam do exterior falam de guerra de religiões, mas nós, por enquanto, não o sentimos desse modo, para nós é uma forma política de colocar uns contra os outros e que alguns aproveitam para ajustes de contas e vinganças pessoais. Tanto a Seleka como os Anti-Balaka estão a destruir um povo para chegar a um poder que não são capazes de dominar. Os Anti-Balaka dizem-se cristãos como os da Seleka se dizem muçulmanos, mas nem todos os muçulmanos se identificam com a Seleka e nem todos os cristãos com os Anti-Balaka. Que religião se identifica com grupos que semeiam a morte e a desordem? É um problema político que falsos crentes tentam tornar religioso.

Desde o início dos conflitos que os líderes das principais conferências religiosas do país trabalham em conjunto no apelo à paz. Um pouco por todo o país têm vindo a ser criadas comissões inter-religiosas com o mesmo objectivo, inclusive em Mongoumba onde, também há o risco que as pessoas se comecem a olhar com desconfiança o que pode levar a confrontos pessoais com consequências nefastas para toda a localidade.

Um dos nossos medos é o número de armas em circulação. Os militares franceses começaram a fazer o desarmamento, mas quantas armas não saíram ou vão sair levadas por desconhecidos com destino desconhecido?

Até ao momento presente, temos vivido como espectadoras duma guerra que também é nossa, mas de que não sentimos os efeitos directos.

Beijos para todos e mantenham-se connosco,


Élia e Teresa

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Encontro Fé e Missão

Olá Jovem

Entra neste desafio aliciante.




O Papa Francisco provoca-nos: “Queridos amigos, a fé é revolucionária, e eu pergunto-vos, hoje: Estás disposto, estás disposta a entrar nesta onda de revolução da fé? Só entrando a tua vida jovem terá sentido, e assim será fecunda”.

Muitos já fizeram este caminho. Hoje são sacerdotes religiosos, leigos missionários, animadores juvenis, catequistas, cristão comprometidos nas suas comunidades paroquiais e movimentos…


Entra tu também nesta aventura. Participa.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Daniel Comboni: Santo missionário…


No dia 05 de Outubro de 2003 O Papa João Paulo II canonizou Daniel Comboni grande missionário da África Central e fundador dos Institutos Combonianos.

Este ano a Família Comboniana em comunhão com toda a Igreja celebra o 10º aniversário do evento fazendo memória deste grande santo missionário a quem João Paulo II chamou “o campeão da missão”.
Ele deu a vida pela salvação da Africa e deixou remarcável herança missionária à Igreja.
Reconhecida a santidade de um membro da Igreja, ele torna-se para todos os membros da Igreja um testemunho, exemplo e desafio à Santidade.

Nesse sentido, o Superior Geral dos Missionários Combonianos, na celebração do evento, dirigiu uma carta aos Institutos missionários com o título: “ A Santidade de Comboni desafia a nossa Santidade”. Nela, recordando os dez anos passados desde a canonização, relembra que S. Daniel Comboni é da Igreja e desafia a todos à missão profética hoje! Em palavras claras pergunta aos membros dos Institutos Combonianos: “Que fizemos da santidade de Comboni que a Igreja quis pôr como modelo para toda a Igreja, recordando que a missão vivida como ele a viveu é caminho seguro de santificação?
Reconhece então com alegria o dom da “santidade missionária” vivida em Igreja: “Dá-me prazer e coragem poder dizer que, graças a Deus, a santidade de Comboni superou os confins dos Institutos Combonianos e hoje, andando pelo mundo, encontramos todos os dias mais pessoas que se inspiram na santidade de Comboni reconhecendo-o como modelo de discípulo, como grande missionário e como exemplo extraordinário para descobrir o Senhor nos caminhos da missão”.

No ano pastoral que se inicia quer assim a Família Comboniana viver “Com Comboni em missão profética hoje”. Este é o tema escolhido para a celebração do ano. Todos os membros, religiosos e religiosas, seculares e Leigos dos quatro ramos da família missionária se comprometeram a vivê-lo como programa de vida. Será a resposta ao convite com que o Superior Geral conclui a sua mensagem: Que a “celebração deste 10º aniversário mais do que momento da festa que vem e vai, se transforme em momento de graça para nos abrirmos ao dom da santidade que temos em casa”.

Caminhos de missão…
Uma Comissão foi formada por representantes dos vários ramos da Família Comboniana. Reunida para reflexão e programação, várias propostas foram já apresentadas e aceites. Terão lugar durante este ano pastoral e são orientadas a nível interno, da vida das comunidades missionárias, e a nível externo, da missão da Igreja local, onde estão inseridas, aqui e agora, abertas ao mundo.
A concretização do tema apela à luta contra as novas escravaturas hoje, à promoção dos direitos humanos, ao reconhecimento do “Lázaro à nossa porta”, deduzindo da luta de S. Daniel Comboni contra as escravaturas do século XIX.

As celebrações do ano incluirão tempos de reflexão e oração assim como acção missionária directa e conjunta em vários momentos e áreas geográficas. Procura-se dar especial atenção ao envolvimento dos jovens.
Como projecto solidário de acção missionária foi escolhido o projecto “Zo Kwe ZO” (“Toda a pessoa é pessoa”) em favor dos Pigmeus da Republica Centro Africana no meio dos quais trabalham conjuntamente os Leigos Missionários Combonianos, os Missionários Combonianos, neste ano juntando-se a eles uma Secular Comboniana.  Conhecer e apoiar este grupo humano hoje escravizado é o objectivo motivador de toda a família Comboniana.

O auge de todas as celebrações será uma grande Peregrinação a Fátima de toda a Família Comboniana amigos, benfeitores e colaboradores em 26 de Julho de 2014.

Missão hoje, aqui e agora…
A Família Comboniana está em missão aqui e agora, em Portugal e na Europa como está na África, América Latina e Ásia. S. Daniel Comboni teve horizontes largos e novos como grande missionário da Africa Central. A Família por ele fundada quer dar respostas novas aos desafios da nova missão hoje.

A celebração deste 10º aniversário de canonização é um desafio e convite para todos. Desafio a não desanimar, a enfrentar as novas escravaturas com coragem, esperança e fé. Um convite a uma maior comunhão entre todos e todas em missão.
A missão que é comunhão a começar no interior da Família Comboniana estendendo-se a toda a Igreja missionária.

Nova vida e nova missão nestes tempos novos são o desafio a que queremos responder. S. Daniel Comboni intercede por nós e é para nós exemplo na missão “até ao fim dos tempos” que Jesus Cristo confiou a cada um e todos.

P. Carlos Alberto Nunes, MCCJ

sábado, 17 de agosto de 2013

Ecos do campo itinerante europeu

Olá a todos,

Depois do regresso a casa e de partilhar esta experiência com todos os que me rodeiam resta-me dizer-vos obrigada.
Obrigada:

- Aos jovens com quem partilhei a alegria de ser cristã e que me ajudaram a fortalecer os meus passos na fé e no trabalho do reino de Deus.

- Aos missionários com quem me cruzei, obrigada pela vossa alegria, por esse sorriso contagiante. Tendes um coração transparente que nos faz sentir o calor da vossa experiência missionária e vibrar convosco.

- Também ao Bepi e a outros voluntários que nos apoiaram sempre com a sua disponibilidade.

Lanço-vos o convite de irem partilhando as vossas atividades missionárias ou pelo facebook (quem tiver)ou por e-mail para não perdermos o contacto.

Boas férias, bom trabalho e lembrem-se continuamos unidos no sagrado coração de Jesus.

Cumprimentos missionários,


Cândida silva

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Sempabrir 2013



Numa tradição já de 9 anos, por altura da Peregrinação Anual da Família Comboniana a Fátima, um grupo de jovens ligados ao Movimento Juvenil Comboniano - "JIM-Jovens em Missão" - faz uma peregrinação a pé até Fátima, terminando em comunhão com todos os participantes no dia da Peregrinação Comboniana.


Assim aconteceu também este ano: 45 jovens cheios de Fé, generosidade e entusiasmo puseram-se a caminho ajudados por uma equipa de apoio de sete pessoas.


Da Azambuja a Fátima, pernoitando em Santarém e Minde, foram três dias de esforço e desafios, de sofrimento e alegrias. Orientados por um guião sobre o tema: "Com Comboni, vive e transmite a Fé", viveram, celebraram e partilharam a Fé individualmente e em grupo. Foi vê-los chegar a Fátima com um sorriso nos lábios, unidos na comunhão de fé e missão, em espírito de oração aos pés de Maria.



No Sábado, na Peregrinação Comboniana participaram e partilharam a experiência da Caminhada, cantaram e deram vida a tudo e todos. A Família Comboniana agradeceu na certeza que é nos jovens que estão as esperanças da Fé que tem de ser vivida e transmitida ao longo das gerações com a mesma determinação de S. Daniel Comboni. Assim caminham sempre os "Jovens em Missão"!



P. João Costa - 10 anos de sacerdócio

 

O missionário Comboniano, P. João Costa celebrou no dia 26 de Julho o 10º aniversário da sua ordenação sacerdotal.


Feliz coincidência foi a celebração ter lugar no exacto dia em que terminava a Caminhada a pé até Fátima dos jovens ligados ao Movimento Juvenil Comboniano "JIM - Jovens em Missão".


Acabado de chegar do Chade onde trabalha, juntou-se ao grupo de 50  jovens e caminhou determinadamente até Fátima. Lá na Eucaristia do último dia, celebrou com todos o seu 10º aniversário sacerdotal.


Alegria para todos que os jovens cantaram e partilharam. Simples e singelo, com o habitual sorriso nos lábios que vem do coração, o P. João presidiu à Acção de Graças.


Estavam ainda presentes alguns amigos e amigas  e a mãe que naturalmente mostrou grande felicidade naquele abraço especial enquanto oferecia o bolo da festa.  


Foi bonito, simples. Foi como o P. João é! Ele não se esqueceu dos dois colegas missionários que com ele foram ordenados no mesmo dia: O P. Joaquim Silva e o P. Jorge Brites.


Por tudo ele disse Obrigado. Com ele todos disseram "Ad multos anos" no mesmo espírito de fé e missão que Comboni nos ensina!



P. Carlos Alberto Nunes, mccj




quarta-feira, 26 de junho de 2013

Hino do Missão jovem 2013


Saiu finalmente o hino do Missão Jovem.

Gravado só com guitarra e voz, pode ser descarregado e aprendido por todos quantos se preparam para participar no evento.

Da autoria do P. Leonel Claro, da Banda Missio, tem um ritmo simples e fácil de aprender e cantar. A letra fala da vida do jovem, das suas incertezas e dúvidas, mas sobretudo do grande tesouro que traz em si, dom de Deus para a sua vida e vida do mundo: a FÉ.

Se desejas,  podes descarregar:
A letra com os acordes aqui

A música aqui

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Curso de espiritualidade Missionária


Realizou-se o Fim de Semana de Espiritualidade Comboniana, no seminário da Maia, de 7 a 9 de Junho, com o tema “Como Comboni, vive e transmite a fé”, que teve a presença de cerca de 30 participantes, na sua esmagadora maioria leigos e leigas.

No contexto do Ano da Fé, o encontro deste ano visou a figura de S. Daniel Comboni, fundador dos Institutos Combonianos, com homem de fé, e o papel do leigos na missão da Igreja de acordo com alguns documentos do Vaticano II.

O comboniano, Pe.Victor Dias, traçou o percurso de fé de Comboni, o qual enfrentou durante a sua vida missionária muitas dificuldades que puseram à prova a qualidade da sua fé. Os últimos três anos da sua vida foram um «autêntico calvário para Comboni», disse o Pe. Victor, especificando alguns dos problemas com que se deparou: morte dos seus missionários, dificuldades económicas, incompreensões. Morreu aos 50 anos de idade com as seguintes palavras na boca: “Eu morro mas a minha obra não morrerá”.

Sobre o lugar dos leigos na sociedade e na Igreja, a leiga comboniana, Susana Vilas Boas, afirmou que os documentos da Igreja apresentam a vocação laical como um chamamento de Deus a viver a fé no seio das realidades sociais, económicas, politicas e culturais. Citou quatro textos do ensinamento eclesial que corroboram esta afirmação: “Christifidelis Laici”, “Gaudim et Spes”, “Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização” e “Lúmen Gentium”. É contrário ao espírito evangélico qualquer concorrência ou competição entre vocações e ministérios, entre leigos e padres, alertou aquela leiga. O que deve prevalecer na Igreja é a comunhão e colaboração entre os vários serviços.


No último dia do encontro, realizou-se uma mesa redonda com a presença de um casal, uma irmã comboniana, um seminarista comboniano e uma jovem. Interpelados sobre as pessoas que influenciaram na sua caminhada de fé, cada um à sua maneira destacou o papel da família, dos pais, dos catequistas e dos párocos. Já sobre o que a fé representa nas suas vidas, os intervenientes salientaram que a fé é uma “mais valia”, que ajuda a enfrentar situações difíceis, e que é sempre uma interpelação nas tomadas de decisão e opções de vida.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Crise de Vocações?

Trabalho muito bom sobre as vocações realizado pela Inês Rocha, no quadro de um concurso.
a Inês é estudante de jornalismo e membro do grupo de jovens MEL Missionários Eucarísticos Leigos), da Maia.

Assembleia animadores JIM

Realizou-se no domingo, dia 2 de Junho a Assembleia de animadores JIM de fim de ano.
Procurámos rever e avaliar o ano, assim como apresentar pistas para o futuro do movimento, concretamente para o próximo ano pastoral.

Avaliamos e sonhamos um novo ano para o nosso movimento “JOVENS EM MISSÃO”.
As perguntas que nos ajudaram a avaliar e que escrevemos no “faqbook” foram:
- O que esperávamos que acontecesse e não aconteceu?
- O que não esperávamos que acontecesse e  aconteceu?
- As atividades que mais marcaram

Nesta avaliação surge o desejo de participar mais nas atividades que o movimento propõe, pois são excelentes e ajudam os grupos a serem mais grupo (na partilha, no convívio, nas celebrações, nas orações, na solidariedade) nas suas paróquias. O movimento JIM tem uma energia brutal J.

Ao meio-dia celebramos a eucaristia que este domingo era a festa do Corpo de Deus e que Jesus no evangelho nos desafia a “ dá-lhes vós mesmo de comer”, e isto se faz com gestos e atitudes muito simples e corajosos no dia a dia.
Foi um dia enriquecedor de diálogo, convívio, de partilha, de escuta e de oração. Estamos com o desejo de sermos “+” JIM.

Estamos a crescer e o sonho para o próximo ano é vivermos, conhecermos mais o fundador da família comboniana, Daniel Comboni, que com o coração apaixonado pela vontade de Deus para a Africa escreve:
“Deus está connosco, porque desejamos unicamente a sua glória. É hora de mover todos os corações do universo para amar a Deus, a Igreja, as missões e sobretudo os mais abandonados”

Ao final do nosso encontro tivemos um momento de oração preparado pelos animadores do grupo de jovens  “Seguidores de Jesus” que nos desafiou a “lavar” o nosso coração e agradecer tudo aquilo que o Senhor nos deu este ano. Pois um coração agradecido é um coração que ama.

Ir. Suelyn e ir.Beta




domingo, 2 de junho de 2013

Jim Cor in Vita organiza Campfest


No Sábado, 1 de Junho, o grupo JIM, "Cor in Vita", organizou o CAMPFEST da Vigararia na diocese de Santarém!

CAMPFEST é uma celebração juvenil que é feita nas várias vigararias da Diocese de Santarém, seguindo o programa do Secretariado da Juventude, no contexto do Ano da Fé.

No Vale de Santarém, foi celebrada num lugar paradisíaco, no monte da  associação AAPDMM e versou o tema "Sentidos , Fé e Missão". Iniciou-se com uma apresentação em power-point sobe o tema seguindo-se trabalhos em 5 grupo segundo os sentidos humanos.

De tarde ouve partilha do lanche e terminou com a celebração da Eucaristia ao ar livre, com a presença de algumas mães e  com bonitas canções. À altura da homilia os grupos partilharam o fruto das suas reflexões que apresentaram em cartazes para ofertório da missa e no momento de acção de graças foi passada, com uma bonita e significativa oração,  a "barca da Fé" em testemunho para Valada, a próxima vigararia a orientar o CAMPFEST.

Com o sol que brilhava por entre os pinheiros, sentia-se a alegria e amizade, a fé e  sentido de missão que todos partilhavam. Neste Ano da Fé é bom ver jovens que desejam seguir Jesus, partilhando a vida e tempo uns com os outros na certeza de que isso os ajuda a ser mais felizes e os leva a anunciar essa vida a outros e outras amigos e amigas. O desafio é ser missionários, testemunhas do Amor de Jesus, "Missionários da Eucaristia" como João Paulo II disse.

A celebração terminou com um MUITO OBRIGADO espontâneo à animadora do grupo desde há muitos anos, Silvia Santinho, que tem dado coragem e ânimo a todos, ajudado a crescer na fé em espírito de missão, como foi dito. É bom reconhecer um exemplo assim! Sim, porque, contando com o sacrifício,  é preciso mais gente madura que apoie, guie e acompanhe  a nossa juventude nas paróquias!


P. Carlos Alberto Nunes, mccj

terça-feira, 28 de maio de 2013

Profissão religiosa




Sábado, 25 de Maio, no noviciado dos Missionários Combonianos em Santarém teve lugar a 1ª Profissão Religiosa de dois noviços: O Paco de Espanha e o Giovanni de Itália!

Com a presença de amigos e familiares vindos dos seus países, com a comunidade local, pároco e clero diocesano, e muitos membros da família Comboniana a celebração litúrgica presidida pelo Provincial P. Alberto Silva teve lugar no salão do Noviciado.

A Liturgia foi bela, animada pelas bonitas vozes e sons dos membros da "Banda Missio" liderada pelo P. Leonel Claro, mccj. Todos participaram com Fé e alegria em comunhão com os novos neo-professos que receberam grande apoio de toda a comunidade!

Depois da celebração litúrgica, foi servido um lanche oferecido pelos amigos e amigas da casa com grande generosidade! O bolo cheio de significado lembrou a todos que vivemos " Com a Missão no Coração" e é "doce" a vida missionária vivida na Fidelidade a Deus e aos outros!

Esses foram os desejos e a oração de todos pelos novos Professos. O Paco que é Irmão missionário, continuará o seu caminho missionário numa comunidade em Espanha para já e o Giovanni continuará os seus estudos para o sacerdócio missionário em Nápoles na Itália.

Na mesma celebração o Ir. Alex renovou por mais um ano a Profissão que fizera o ano passado!
  

P. Carlos Nunes, mccj


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Dia da África



Amanhã, dia 25, é o DIA DE ÁFRICA, instituído em 1972 pela ONU.

Para assinalar esta data, o CINE-ONU (promovido pelo Centro Regional de Informação das Nações Unidas) exibiu ontem em parceria com a Plataforma Portuguesa das ONGD e com o apoio da CPLP, o filme “Sweet Dreams”.

Sinopse do filmeEm 1994, o Ruanda sofreu um genocídio devastador. Perto de um milhão de pessoas foram mortas. E quando tudo acabou, os que permaneceram estavam mortos por dentro.

O filme fala-nos de Ingoma Nshya, um grupo de percussões unicamente composto por mulheres e que está aberto a mulheres de ambos os lados do conflito. Para estas mulheres – órfãs, viúvas, esposas e filhas de autores de crimes –, o grupo tem sido um lugar para começar a viver de novo, para construir novos relacionamentos, para curar as feridas do passado, batendo ritmos de poder e alegria. Persiste no entanto, a luta para sustentar suas famílias.

Podes ver o trailer do filme aqui.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Missão em Moçambique


 "Que através da sua alegria,
possa transmitir a todos com quem se cruzar,
a mensagem de fraternidade e de amor de Cristo Ressuscitado."


A Márcia partiu de novo. desta vez rumo a Moçambique.

aqui

quarta-feira, 22 de maio de 2013

A liberdade de Deus


Reflexão sobre Mc 9,38-40

Vimos no evangelho da eucaristia de ontem, Jesus, depois de uma viagem, chegar com os discípulos, a casa. Não sabemos que casa era. Provavelmente a que Jesus habitava depois de se ter mudado de Nazaré para para Cafarnaúm.
O que interessa é saber que, no evangelho de Marcos, a casa é o lugar do ensinamento. É quando estão sós, Jesus e os discípulos, na calma e tranquilidade, sem a agitação das multidões, das praças e caminhos. Jesus aproveita para uns momentos de catequese.

Ontem: quem é o maior? Jesus coloca uma questão a partir de algo que se viveu no caminho. Depois vem a resposta, simples, breve: o último é o primeiro; o mais pequeno é o maior.
Hoje: é João que coloca uma questão a Jesus a partir de algo que se passou no caminho também: alguém que não é do grupo, que não anda connosco, não segue Jesus, expulsa demónios em teu nome. Nós proibimo-lo!

Sim! Tu não podes fazer isso. Não és do nosso grupo, não andas com Jesus, não és da nossa comunidade. Não podes fazer o que ele faz, nem o que nós fazemos. Tu não entras nas nossas categorias, na forma de ser do nosso grupo. Não pensas, não vives como nós. Não tens direito a fazer isso. 
Pensamento lógico! Sim! Mas errado.

Mais uma lição de humildade, de liberdade e autonomia de Deus.
Quem és tu para colocar entraves à acção de Deus? O Espírito Santo sopra onde quer, como quer, em quem quer. Quando tu lá chegas ele já lá está. Ele é o protagonista da evangelização, da vida da igreja e da vida em Igreja; da acção de Deus na humanidade.
Ele precede-nos nas pessoas e realidades que encontramos. No fundo, a evangelização não é levar a palavra de Deus, mas é fazer despontar essa palavra que nos precede e existe já em cada realidade em cada pessoa.

Por isso ele nos desconcerta, nos ultrapassa, age fora dos nossos esquemas. E ainda bem!
Diz a carta dos bispos de 2010, como eu vos fiz fazei vós também, no nº 8: "O ES continua a suscitar e a animar novos movimentos, novas formas eclesiais, novos métodos e novos rumos, nova primavera no inverno da Igreja, quantas vezes surpreendendo e pondo em causa a excessiva confiança que pusemos nas nossas estruturas e programações, distribuição de poderes e funções" E continua no nº 13: "A igreja necessita de uma forte comoção, que a impeça de se instalar na comodidade, na estagnação e na indiferença, à margem do sofrimento dos pobres, dos excluidos, dos explorados, dos marginalizados”.

Deus continua a provocar-nos, desconcertar-nos, espantar-nos com a sua liberdade de acção. Por muito que o queiramos prender aos nossos esquemas, ele foge-nos, liberta-se, ultrapassa-nos. Somos nós que temos de nos conformar a ele e não o contrário. Ele não pode ficar prisioneiro das nossas estruturas, que vamos construindo. Ele é liberdade e libertação.

Deixemo-nos habitar pelo ES e vivamos segundo a sua inspiração.

terça-feira, 21 de maio de 2013

De novo em Missão



Três meses passaram desde que a Márcia – Leiga Missionária Comboniana – tinha começado a sua aventura missionária no Bairro de Fetais, um dos 26 da Paróquia de S. Tiago Apóstolo de Camarate, em Loures.

À chegada a esta comunidade, trazia na bagagem mais de dois anos vividos no coração da África – na República Centro Africana e, com alegria, disponibilizou estes três meses entre este povo oriundo de vários países e vários continentes. Principalmente com as crianças e os outros voluntários do Projeto Despertar, onde com o coração de missionária e a competência de educadora infantil, foi uma mais valia, ao início do mesmo projeto, fazendo comunidade com as Irmãs Missionárias Combonianas aí presentes. No seu horizonte: Moçambique! Uma missão bem diferente destas que conheceu até então.


Foi, por isso, com alegria, que celebramos com ela e com a sua família, o seu envio missionário no passado dia 12 de Maio, na capela de Nossa Senhora Mãe Rainha, neste bairro, com toda a comunidade cristã. Um dia vivido em família e verdadeira fraternidade missionária! Na eucaristia, presidida pelo P.Alberto Silva, Superior Provincial dos Missionários Combonianos, a Márcia recebeu a bênção tanto da família Comboniana aí presente como de toda comunidade.


Assim, no rito de envio, os Leigos Missionários Combonianos, recordavam à Márcia e aos presentes que, quando se parte, parte-se acompanhado, a família que faz questão de estar presente na celebração de envio é a mesma que se mantém presente na missão daquele que parte. Simbolicamente, a mãe da Márcia entregou-lhe o símbolo do envio (uma dezena com a Cruz), manifestando, deste modo, que apesar do que até possa não entender e apesar da separação física, o apoio à filha é incondicional.


Também neste momento de profunda missionariedade, recordou-se à Márcia que quando, em qualquer parte do mundo, se reza pelos missionários, reza-se também por ela e que, por isso mesmo, em oração, a Igreja – Povo de Deus – é presença diária e constante com ela ecom tantos missionáriosque partilham, dia-a-dia as suas vidas com os mais pobres e abandonadosem favor do Reino.


No final, o almoço partilhado em família mostrou que a missão é feita por todos aqueles que dela se fazem família. A alegria e o entusiasmo missionário não foram sentimentos da Márcia, foram sentimentos de todos que com ela, mesmo ficando em Portugal, partem de coração aberto seguindo a estrada de Cristo a exemplo de Comboni.


No fim do dia, uma única palavra: Obrigada! Obrigada Márcia por continuares a acreditar e amar a missão a que Cristo te chama! Obrigada por partires e, deste modo, nos fazeres partir também! Obrigada às Irmãs que sempre, ao longo destes três meses, se fizeram presentes e te “inculturaram” nesta comunidade que depressa aprendeu a amar-te e que hoje parte contigo para terras africanas. Obrigada aos Missionários Combonianos que, em comunidade apostólica contigo, sempre se mostraram presentes neste teu caminhar! E, finalmente, obrigada Senhor, por continuares a fazer de nós humildes e frágeis instrumentos do Teu Amor e da Tua Paz!


Susana Vilas Boas (coordenadora dos LMC em Portugal)

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Voluntários no Missão Jovem 2013



Queres ser voluntário no Missão Jovem?

Vem ajudar-nos. Precisamos da tua boa vontade e disponibilidade.

A inscrição de voluntários tem limite e obedece às seguintes condições:

·         Os voluntários devem fazer a sua inscrição até 22 de Junho, de acordo com as condições normais de inscrição para o evento.

·         Os voluntários participarão voluntariamente nas tarefas designadas pela organização (acolhimento, limpezas no recinto, estacionamento, vigias, ajuda na confecção e distribuição das refeições, liturgia, logística geral e outras tarefas designadas pela organização).

·         Os voluntários apresentam-se no recinto do evento na sexta feira dia 5 de Julho até às 10h, para a reunião geral com todos os voluntários para definição de tarefas. Os trabalhos de voluntariado começarão com esse encontro.

·         Os voluntários possuirão um distintivo de voluntário durante os dias do evento.

·         O voluntário terá direito a refeições gratuitas e alojamento (se o desejar) durante o evento do Missão jovem. Senão, pode acampar junto com os outros participantes.

·         A organização reserva-se o direito de recusar ou limitar o número de voluntários.


Para te inscreveres preenche o formulário de inscrição voluntário/a e segue as indicações fornecidas.
A inscrição ficará completa quando receberes um mail a confirmar.

Obrigado e benvindo/a ao missão jovem

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Arranca o Missão Jovem 2013



Olá Jovem,

Marca já na tua agenda dias 6 e 7 de Julho 2013, Sábado e Domingo, para uma grande aventura! Missão Jovem 2013.

É já a 6ª edição deste encontro anual dos jovens JIM e grupos de jovens que desejam passar um fim-de-semana voltados para a Missão.

O objectivo principal é viver um tempo de amizade e comunhão com a espiritualidade missionária. Este ano temos como pano de fundo o ano da fé e o 10º aniversário da canonização de Daniel Comboni, fundador dos Missionários Combonianos.

Nesta 6ª edição, voltamos ás origens e vamos encontrar-nos todos nos Missionários Combonianos na Maia, num fim-de-semana diferente, com inúmeras e variadas actividades: desporto, jogos, caminhada, música, divertimento, oração, partilha de vida, workshops, festival, artes, … e muito mais

Vivido em regime de acampamento, o encontro permite o contacto directo com a natureza e com os outros; favorece o louvor e acção de graças pela vida; eleva o nosso coração e todo o nosso ser ao encontro com o criador; chama-nos a comungar do amor e do serviço aos outros próprios de Jesus Cristo.

Consulta o site http://missaojovem.jim.pt e lá encontrarás tudo o que necessitas para te inscrever: regulamento e datas/prazos para inscrições, e outras informações.

Equipa Missão Jota / Missaojota@gmail.com


sábado, 4 de maio de 2013

Testemunho: Porta da Fé



E, foi a sorrir que fui recebida numa tarde de sexta-feira. Neste pequeno espaço de tempo houve espaço para todos os momentos: momentos de partilha, de introspeção, de alegria, de fé…momentos com ELE.
Este encontro foi sobretudo uma porta para fé. Esta fé que tem o seu início e o seu fim em Jesus Cristo. Esta fé que nos pede que tenhamos a coragem de LHE abrir a porta. Esta fé que nos leva a querer mostrar ao mundo a verdadeira forma de felicidade. Esta fé que nos leva a evangelizar.
Foi com este intuito que no sábado em conjunto com um grupo de escuteiros fomos até um bairro ali perto brincar e estar com as crianças.
Com isto apenas se tentou um início, apenas se lançou uma semente na terra. Agora ir-se-á regar a terra, evangelizando. I
sto, porque talvez um dia esta semente cresça e seja árvore, mãe de outras sementes.

Paula Sousa



quarta-feira, 17 de abril de 2013

O Pão da Vida (para todos)



Temos vindo a ler, na liturgia diária, o longo capítulo 6 do evangelho de S. João, com o tema do pão, da comida, da vida. É um dos capítulos eucarísticos e de ressurreição. 

Donde nos vem a vida? O que nos faz viver e viver em plenitude? João responde: é a comunhão com Cristo morto e ressuscitado; ele é o verdadeiro alimento; a verdadeira vida em plenitude. Só comendo o seu corpo se pode ter a vida. Não é tendo a vida que se come o corpo, mas a comunhão do corpo é que leva à vida.
Daqui decorre, me parece, uma exigência: temos que renovar o nosso olhar, compreensão e posição sobre a eucaristia.

A eucaristia é, certamente, um fim. Para aqueles que têm forças para se abeirar dela, os que vivem em comunhão com a fonte do alimento, os que são dignos do alimento, para renovar a caminhada. Mas ela é também, e tem que ser, com muito mais força, para aqueles que mais precisam de alimento: os fracos, os transviados, os que precisam de retemperar forças para caminhar e se abeirar do seu Senhor e viver por ele, com ele e nele.

Quem precisa deste alimento? Não serão mais os doentes, os excluídos da comunhão com o seu senhor, os de situação irregular, imperfeita? Então como o oferecemos aos que menos precisam e o retiramos, o excluímos dos que mais precisam?

Qual o pai ou a mãe que dá o melhor do alimento ao filho mais forte e o exclui do filho mais fraco, que mais precisa? Se a eucaristia é o dom mais precioso que o senhor nos deixou, o seu corpo, e que a igreja tem para oferecer à humanidade, é urgente disponibilizá-lo aos que mais precisam: aos doentes, aos coxos, aos leprosos aos cegos… não foi isto que Jesus fez? Não se ofereceu ele aos cegos, coxos, leprosos, excluídos, marginalizados? E não é Cristo ele mesmo que se oferece na eucaristia? Então temos que o disponibilizar àqueles a quem ele se ofereceu.

Enquanto isso não acontecer continuamos a ser maus pais e más mães e a fazer o que faz o nosso sistema económico: a dar cada vez mais e o melhor aos que já têm, retirando o essencial aos que não têm e mais precisam.

Cristo ressuscitado nos acuda e nos livre deste mal.


sexta-feira, 12 de abril de 2013

Oração Concerto em Torres Novas



Vai realizar-se no dia 14 de Abril, pelas 16 horas na Igreja de São Pedro, Torres Novas, um concerto-oração pela Banda Missio, ligada ao CVJ dos Missionários Combonianos.

A temática está relacionada com o Ano da Fé.







quinta-feira, 11 de abril de 2013

JIM - Chama, promove concerto solidário em Fermentelos



O grupo JIM, Chama, está a organizar um concerto solidário, na sua comunidade paroquial de Fermentelos - Aveiro

O concerto consiste na actuação dos grupos de catequese e dos grupos corais das eucaristias dominicais, assim como de um grupo coral da freguesia de Fermentelos.

O concerto será no dia 27 de Abril às 14h30, com entrada será gratuita, no centro paroquial.

Haverá serviço de bar, que será uma das formas de angariar fundos. Haverá ainda à venda, artigos feitos pelo grupo de jovens Chama.

O que for apurado será em favor do projecto solidário JIM. Este projecto apoia O Instituto Daniel Comboni e a creche Ezequiel Ramin, na favela do Coqueirinho, em S. Salvador-Bahia (Brasil). O instituto e a creche acolhem crianças, adolescentes e jovens desfavorecidos da favela

O grupo convida à participação de todos os que desejarem, passar uma tarde bonita e contribuir para uma causa solidária.